Rethinking about Cocooning…

Em 2007, Faith Popcorn (a Nostradamus do mkt) divulgou suas previsões de inclinação do consumo mundial…

Vocês lembram qual era a primeira tendência anunciada? O Encasulamento.

Bem, não podemos discordar 100% que há um impulso de ficar dentro de casa, quando o lado de fora se torna muito difícil e ameaçador fez com que um número cada vez maior de pessoas começassem a transformar suas casas em verdadeiros ninhos – fazendo nova decoração, assistindo filmes pela TV a cabo, utilizando a Internet para fazer compras e usam a secretária eletrônica para filtrar o mundo exterior. Afinal segurança do lar é o que importa.

Ok, talvez tenha sido uma tendência relâmpago. 

Por que eu digo isso?

Primeiro, tenhamos um bom exemplo. Sabemos que até o final da década de 80, Nova Iorque era conhecida como a cidade mais violenta do mundo. E por diversas mudanças (Novo governo, envelhecimento da população,  teoria das janelas quebradas, etc…), a cidade começou a mudar. Apesar disso, a tendência denominada de Encasulamento – citada acima , começou a ganhar grandes proporções, pois a geração Y, nascida exatamente nesta época, sofreu grandes influências em sua criação.

Agora, essa mesma geração aparentemente não quer o mesmo para seus filhos.

E o que me fez prestar um pouco mais de atenção nisso, a princípio , foi um projeto recentemente realizado no Brooklyn.

O evento chama bastante atenção por recriar espaços públicos no meio da rua e o objetivo é fazer os habitantes da cidade repensar.  Repensar em seus estilos de vida, seus espaços…

 

 

 

 

E, agora, no início de Agosto – dia 7 mais especificamente – ainda em Nova Iorque, o projeto de Macro Sea que traz as ruas da cidade piscinas móveis, revendo o conceito urbano e levando um pouco mais de liberdade aos moradores. 

 

Beeeeem legal esse Macro Sea, é uma sociedade americana que se diz “criada para idealizar projetos que acham interessantes” 

Este slideshow necessita de JavaScript.

E se vc leu esse post imennnnssssoo, vc merece algo mais, hehe.

Acredito que a inclinação que destaco acima, já conquistou artístas e, logo, percebemos em suas músicas e clipes.

Um belo exemplo é este em Harmony to my Heartbeat da Sally Seltmann.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: