http://ping.fm/lZMvE

Monster Art

Sabe aquelas coisas feias que de tão feia ficam fofinhas?
Pois é, esta é a sessão ónhoinhoin do #Seje de hoje.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aleluia, pai.

Este post é para vc que… até gosta de comida japa, mas sempre fica com receio de acompanhar seus amigos, pois lá correrá o risco de todos seus amigos descobrirem que vc não sabe nem AO MENOS pegar no hashi. E aí, reputação mandará lembranças.

TCHARÁM.

Não é que vc não sabe segurar o hashi, acontece que vc é TÃO chic, que não só já adquiriu a nova criação da Side by Side como já a trouxe para o restaurante para exibi-la.

A Side by Side é uma empresa que cria e produz utensílios domésticos, em sua maioria utilizando madeira e  metal. Em sua maioria, idéias simples, porém geniais.

Olha essa colher tbm que fica de pé na panela, graças a uma simples borrachinha adicionada.

Um refresco, sabor Mr. Heiderich.

Bem legal o trabalho do alemão Matthias Heiderich.

Aproveitando o “friozinho” em Berlin, tomou coragem e saiu por lá fotografando.

O filtro foi: Destaques em meio a tanta neve.

O resultado tah aí, ó!

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos divertidas, suaves e refrescantes para quem vive em países tropicais. Rysos!

Fuck Art, Let’s Dance – Ep. 26

Resoluções pra 2011, alguém fez alguma e quer me emprestar? MENTIRA to de boa. Tá que nem que eu quisesse ter feito alguma eu teria tido condições para tal, já que mal e mal lembro da contagem regressiva mas enfim, o que importa é que a primeira sexta-feira do ano chegou, o Fuck Art, Let’s Dance voltou e continua tudo igual: todo mundo transformando a dignidade em paçoquinha hoje pra descobrir que o fígado virou tapioca amanhã.

OI VEM SEMPRE AQUI? (link do 4shared)

TRACKLIST

Bombay – El Guincho
Peacock – Katy Perry
Favorite Colour (PUNCHES Remix) – Tokyo Police Club
Always Up With You – Alphabeat
Molly’s Chamber – Kings Of Leon
Totem On The Timeline – Klaxons
Jason’s Basement – The Gossip
Implosionatic – Hot Hot Heat
Star Survivor (Russ Chimes’ Drive To Survive Remix) – Pony Pony Run Run
Represent (Rocked Out Mix) – Weezer
Saturday Night Part Deux – Das Pop
Shooting Stars – Bag Raiders
253 – Just Jack
Ain’t Complaining – Beatsteaks

L’avant garde!

É um prazer inenarrável estar aqui novamente com vocês. Promessa é dívida e este ano o #Seje vai bombar.

E para abrir essa delicia de ano, vou mostrar para vocês o lado B, cada vez maior, do berço do iluminismo, da gastronomia aprimorada, da literatura “trovadora”… La France!

Quando se está aprendendo francês, é muito interessante o volume de material que encontramos para auxiliar-nos nos estudos. ]

Inclusive, textos interessantíssimas sobre Montagne, PoussinLorrain, Rococó, o Gótico e outras  coisas de origem francesa que outrora (odeio essa palavra) não nos interessava nem um pouco.

Mas hoje, genty, hooooooje vamos falar de algo mais profundo ainda:

A Nouvelle Vague dos anos 2000.

Seguidores de Édith Piaf que me perdoem, mas  estamos aqui para mostrar a vcs o quão divertido pode ser essa busca pelo novo, na França.

Vou apontar para vcs aqui algumas coisas que estão de alguma forma se inclinando e gerando mutações contínuas, porém apenas dos mais “trendzinhos” sinon o post ficará gigante.

Começo com Plastiscines. Grupo de garotas lindas que, com sua mistura do francês com o inglês em letras dadaístas, as meninas parecem ser de origem canadense, mas não. São mais francesas do que vc imagina.

São Katty Besnard (vocalista / guitarrista), Marine Neuilly (guitarra), Louise Basilien (baixo) e uma baterista chamada Caroline, que veio substituir Zazie Tavitian. A banda foi formada em 2004, quando elas ainda era colegiais… após um show que elas assistiram do Libertines. Elas tem como influência além de Libertines, White Stripes, Strokes, de uma geração anterior, Kinks e Blondie. O nome da banda veio da frase “plasticine porters with looking glass ties” da música “Lucy in the Sky with Diamonds” do álbum lançado em a 1967 dos Beatles (Sergeant Pepper’s Lonely Hearts Club Band). O primeiro álbum da banda, LP1, foi lançado em 12 de Fevereiro de 2007.

São músicas rápidas e curtas (nenhuma com mais de três minutos e algumas não passam de dois), incluindo o seu primeiro single, “Loser”.

Já vieram para o Brasil em 2008 e se apresentaram em São Paulo no Vegas, na Rua Augusta.

Seguindo – mais ou menos – o mesmo rítimo, época e influencia, temos o BB BRUNES.

BB Brunes

Grupo composto pelos parisienses Adrien GalloKarim AwakenedRaphael Delorme, amigos de infância que formaram os Hangover, com canções em inglês em 2000. Mais tarde os caras decidiram honrar a lingua e mudar o nome da banda.

O primeiro single foi lançado em 2006, com o nome de “Le Gang” que serviu para promover o primeiro álbum de estúdio da banda, Blonde comme moi. Em 2007 o álbum foi reeditado com uma faixa bónus.

Depois os caras subiram, ganharam prêmios, foram revelação do ano, fizeram faixa pro Crepúsculo e gravaram um outro disco ” The Nico teen Love” lançado em Novembro de 2009.

 

Claro que não deixaremos de fora nossa queridinha, Yelle.

Yelle, diminutivo da frase inglesa “you enjoy life” (aproveite a vida), já foi rotulada de musa do novo “french touch” à rainha do tecktonik, a dança que se espalhou como praga mundo afora via YouTube.

Na primeira turnê desse lado do Atlântico, ela passou pelo Brasil com o marido Grand Marnier, na bateria, e Tepr, no teclado, fizeram uma show cheio de ousadia haha no clube Glória, em São Paulo em 2008. Em seus shows ela pede ao publico para ir caracterizado de suas letras. REFLITAM!

Mais do que suas influências e temas por trás das músicas -o tamanho do seu sutiã e seu melhor amigo, o vibrador, são alguns deles-, importa saber que a garota que diz amar “ser livre para cantar sobre lesbianismo e vibradores” arma uma verdadeira festa com seus fãs, quando está no palco.

E não muito mais distante disso, temos algumas ‘coisas’ que começam a preocupar a gente e nos faz indagar: WTF??? Por exemplo, Fatal Bazooca.

Tah, o cara fez uma parceria com Yelle em 2007 e fizeram um clipe aceitável e divertido, mas ele podia parar por aí.  OU NÃO… HAHA.

Agora se a idéia eh mostrar o B side francês. Vamos lá!

Este é o Max Boublil.

Pq se aqui nós temos o techno brega, lá, não poderia ser diferente.

Na verdade, o cara eh um ator e humorista francês muito muito respeitado na frança, porém agora deu pra fazer essascoisatudo aí. bjo!

Fuck Art, Let’s Dance – Ep. 25

Já basta ter que ficar ouvindo a família toda reunida discutindo seu comportamento moralmente questionável, CD de Natal da Simone é apelação. Então depois de cair de boca no peru (quem curte né), pegue sua tacinha de prosecco e rebole ao som do último Fuck Art, Let’s Dance do ano, que tá com uma vibe de retrospectiva, pra manter a tradição mais bacana de todas: CHOCAR A SOCIEDADE.

HOJE SÓ ANO QUE VEM (link do 4shared)

TRACKLIST

That’s Not My Name – The Ting Tings
Ce Jeu – Yelle
Ain’t Got No (I Got Life) – Groovefinder vs. Nina Simone
Take On Me (The Twelves Remix) – A-Ha
Kids (80kidz Remix) – MGMT
Hoeing Weeds Sowing Seeds – The Russian Futurists
Technologic vs. Cars – Daft Punk vs. Gary Numan
I Think I Like U 2 – Jamaica
Shake It – Metro Station
Wraith Pinned To The Mist & Other Games – Of Montreal
Paris – Kate Nash
Consolation Prizes – Phoenix
Sweet Disposition – The Temper Trap
Shark In The Water – VV Brown
I’m Not Gonna Teach Your Boyfriend How To Dance With You – Black Kids
Mr. Brightside – The Killers